Aqueles que não acreditam em mágicas, nunca irão encontrá-la.

terça-feira, 11 de junho de 2013

Ser feliz Oito dias por semana...



Sou criança grande.Que quer colo, que sabe dar colo, que quer fazer tudo direitinho, sem magoar ninguém,mas que não quer fazer da vida, uma rotina toda certinha. Trabalho igual gente grande, fico séria, quando tenho que agir.Ah, mas lembro-me bem dos meus tempos de professora, quando  chegava a hora do recreio e meus alunos corriam feito doidos... E eu também quero, brincar de esconde-esconde, descer bem rápido pelo escorregador, com uma pressa enorme de chegar, se cair, chorar sentido, porque doeu, fazer manha, desejar muuuito aquele presente, subir em árvores, mesmo com medo de cair, tomar sorvete com coca-cola. E olha, amo como criança sabe amar, sem dúvidas, sem preconceitos, sem medo de ser ridícula, sem vergonha de dizer: "Hei, psiu, te amo viu?" E amo muito, com todas as letras.Não precisa se esforçar nem um pouquinho para me compreender, sou facinha.  Quer me fazer feliz? Simples, ponha meus filhos pertinho de mim, grudadinhos, meus netos, do meu lado, me dê de presente chocolates, um livro de poesias, me conta uma história bonita, de preferência  uma história de amor. E é assim que quero ir vivendo, assim mesmo, desse jeitinho.Por Cris.
‎”Ter vinte e poucos anos não quer dizer nada. Trinta. Quarenta. Quinze. Vinte. Noventa. O que importa, no fundo, é quem você é quando está sozinho. Como você é quando está acompanhado. O que sobra quando a luz apaga. O que resta quando o sol acorda.” Clarissa Correa