Aqueles que não acreditam em mágicas, nunca irão encontrá-la.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

No seu coração ela fez um lar...

A Neta
 Neta de Tunica , uma mulher dinâmica, guerreira, que viveu à frente do seu tempo...

Eu sempre soube que minha vida valia a pena! Tenho dentro de mim uma força, uma coragem que às vezes não sei bem como explicar, pareço boba aos olhos de algumas pessoas, outras acham que não sei fazer as coisas como elas devem ser feitas, mas sempre tive esse sentimento bom dentro de mim... alguma coisa que me dizia:Vai menina! Vc consegue!
E estes dias pensando sobre as conversas que tive com minha mãe, minha irmã, descobri: é DNA puro... herdei só coisas boas ...
olha a história de minha avó:

Meu avô foi contratado para trabalhar como carpinteiro numa fazenda perto da cidade onde morava, Lorena.

No terceiro dia que estava ali avistou uma "menina" sentada numa escadaria que dava acesso a entrada da casa ,  chupando uma laranja. Ficou perplexo, disse nunca ter visto um rosto tão lindo e perfeito, parecia um anjo! Encantou-se , e disse com toda convicção que foi amor à primeira vista.

Ficou sabendo pelos outros empregados que o dono da fazenda, ao voltar de uma viagem, encontrou um bebê na estrada, embrulhado num cobertor, dentro de uma caixa de papelão. Levou-a para casa, ele e a esposa , que já havia falecido , resolveram ficar com o bebê e escolheram o nome , ANTONIA AURORA.
Antonia- Aquela que não tem preço e Aurora - O romper do dia, a Deusa da Manhã, por ela ter sido encontrada de manhã. Se eu fechasse os olhos acho que consiguiria imaginar este casal, meu Deus, o amor que eles dedicaram a esta crianca foi algo sublime. Mas  minha irmã  me contou que eles a tratavam como uma criada, ela fazia todo serviço da casa.Nunca teve um brinquedo, uma roupa bonita,e pasmem... seus pés nunca calçaram um sapato... sempre descalça... Mas ela jamais se importou com isso.
Só sei que meu avô não saiu sozinho daquela fazenda, levou no seu coração a imagem da linda menina dos olhos verdes, voltou, claro, outras vezes para vê-la e no final da estória, uniram suas vidas numa casa que ele possuia , já havia se casado, a esposa falecera e tinha uma filha de 4 anos, que minha avó criou como se fosse sua.Dizia que Deus lhe cobrara por ela também ter sido adotada, e com apenas 15 anos , ela passou a ser esposa , mãe e dona de casa, só que disse ao meu avô que não seria só dona de casa, que tinha muitos projetos para a sua vida. A primeira coisa que iria fazer era dar um jeito na casa, iria transformá-la num lar!
E assim, dois anos depois a casa já havia sido reformada e todos os vizinhos diziam que era a mais linda do bairro. Detalhe: ela ajudou na reforma, pintou sozinha e fez meu avô confeccionar móveis , que para a época,eram modernos demais.
Ela conhecia muito bem o poder da terra.Plantava,colhia. Tinha sabedoria para lidar com as sementes, que nas suas mãos fazia verdadeiros milagres, fez em seu quintal, horta, pomar e um imenso jardim.
Com a sua horta e pomar alimentava os seus filhos (teve seis) e vendia tudo que plantava. Com seu jardim, fazia lindos arranjos,(não havia floricultura) mas ela já comercializava suas flores para casamentos, aniversários e pessoas compravam para presentear as outras e .... onde ela ficou famosa, funerais, meu avô sendo marceneiro, fazia caixões e ela vendia suas flores, trabalhando com guirlandas.
E não parava ai, fazia também os forros dos caixões.
Sabia o que era bom para a saúde dela e de sua família, fazia remédios caseiros e cuidava dos seus com amor e carinho.
Fazia bolos, rosquinhas e tortas para vender, e dizia , (até hoje penso sobre isso ao fazer massas) que se você estivesse triste ou chateada, seu bolo não iria crescer.
Dizia também para quem gostava de reclamar da vida, " não adianta ficar reclamando do que a vida fez com você, o que interessa mesmo é fazer a diferença. Se quiséssemos vencer na vida precisávamos de muita dedicação, trabalhar duro e dar o melhor de si."
Ela foi considerada a melhor e mais sofisticada costureira de Lorena, e dava aulas de corte e costura, e sem saber ler nem escrever. ANALFABETA!
Na revolução de 1932, a sua cidade, Lorena, ficava entre São Paulo e Rio de Janeiro (capital) e ela montou a sua pensão para dar refeição aos soldados. Meu Deus, que pique !
Era uma mulher à frente de seu tempo!
Junto com meu avô deixou uma casa para cada filho e uma padaria para o seu único filho homem.
Naquela época , onde as mulheres eram somente donas de casa, ela foi uma grande e bem sucedida empresária. E todos conheciam na cidade a D.Tunica...
Outro dia destes, ao mexer em meus documentos, achei minha certidão de nascimento, lendo, lembrei-me da estória que minha mãe nos contou sobre nossa avó, e quando meus olhos procuraram avós maternos, estava lá: José Francisco da Silva e D. ANTONIA AURORA. Somente.Simplesmente um nome , sem sobrenome.
Tenho tanto orgulho de ser sua neta.
Queria muito tê-la conhecido...

                                         Por Cris