Aqueles que não acreditam em mágicas, nunca irão encontrá-la.

domingo, 28 de dezembro de 2014

               ( eu e meus 7 anos)

Você lembra da sua infância?Eu lembro muito bem da minha.

Lembro de meu pai saindo de bicicleta e eu queria ir junto, ele colocava um tipo de elástico grande para não sujar a calça de graxa, e colocava um bonezinho em minha cabeça pra eu não tomar sol...  lindinho!

lembro da vizinha que tinha bigode e cheiro de suvaco.Eu tinha medo dela, porque os meninos diziam que a noite ela virava lobisomen.Ela saía na porta e dava tchau pra mim e perguntava de minha mãe, e eu morria de medo de olhar nos olhos dela e virar lobisomen. hahahahaha como sofri!

lembro que perto de minha casa passava um rio, era numa rua sem saída, eu "pescava" girinos, colocava-os dentro de um vidro, fazia um buraco, enterrava e fazia mapas para depois encontrá-los.Uma vez meus amigos acharam o vidro e "roubaram" de mim, acho que foi a 1ª vez que briguei com um garoto, e ele me deu um tapa porque eu o chamei de maricas... você sabe o que é maricas?

Não conheci meus avós, em frente de casa morava um sargento e sua esposa, eles diziam que os filhos e netos estavam longe, perguntei se queriam ser meus avós, e a-ma-va entrar em casa e gritar: "Manhê, vou na casa dos meus dois avós!"

Lembro do filho da vizinha que subia no telhado e com um estilingue jogava mamonas em quem passava.

              
Lembro-me do meu quarto, da minha cama, de meu pai lendo e contando histórias antes de eu dormir, eu chupava um bico enorme vermelho, que nunca mais vi na vida e minha mamadeira era uma garrafa de coca.
Quando minha prima Lúcia vinha passar férias em casa, eu mamava escondida embaixo das cobertas, e ela disse uma vez para minha outra prima que eu era boba, achando que ela não sabia ...
... dei uma surra nela.

Minha tia Celina nos colocava para lutar no tapete.Eu vencia em todas às vezes, como não sei, pois era bem menor que meus primos!
Jogávamos dama, dominó e fazendinha e ela roubava no jogo.Eu não dizia nada, às vezes olhava bem  "sinistro" (adorava essa palavra) para ela, não tinha coragem de desmascará-la. hahahaha


Quando ganhei um violãozinho e andava pela casa cantando ... fiz uma música para minha mãe, como em todos os dias, ela costurava em sua máquina, fui bem pertinho dela e perguntei se podia cantar a música que fiz pra ela... quando terminei vi que os olhos dela estavam cheios de lágrimas, abracei-a e disse : "Não é pra chorar, é pra ficar feliz!" E ela me disse que eu era o grande amor de sua vida! 
É ... agora eu sei que por ter tido tanto amor e carinho em minha infância sou assim hoje ... livre, feliz e meu coração ainda está cheio deste amor que recebi.
By Cris