Aqueles que não acreditam em mágicas, nunca irão encontrá-la.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

meu neto Vagner, ...

Hoje cedinho, arrumando minhas bagunças organizadas na casinha nova, achei várias fotos num álbum do meu mais puro amor, meu neto Vagner.Fiquei uma hora num profundo silêncio olhando todas elas.

E lembrei-me do tempo que ficava com ele, pequeno e travesso.E tínhamos quase o dia inteiro só para nós, fazíamos tudo juntos, ele me "ajudava" a arrumar as camas dos tios e todo sério dizia:"Ai tio D viu? Bagunça não pode né?Tem que ficar tudo arrumado e limpO!"
E eu curtia tanto estes momentos.Daí uns segundos completava:" Vovó já tô cansado!Vou ver TV tá ?" E me chamava à cada minuto, querendo me mostrar algo ou pedir um lanchinho e quando eu me abaixava para ficar à sua altura, o apertava entre muitos beijos nas bochechas e dizia que ele era meu algodão doce! hahaha branquinho e doce!
De volta à cozinha, em pensamento, fazia pequenas orações de agradecimento, por Deus ter me dado a chance de ser avó de um garotinho tão lindo e especial.
Dava-lhe o almoço, arrumava sua lancheira e ouvia:"Vovó, põe coisinha gostosa!" E como mimo além do lanchinho, colocava balinhas ou bolachinhas para dividir com os coleguinhas, ele amava fazer isso!
Passeávamos pelas ruas do bairro, "procurando aventuras" como ele mesmo dizia, de mãos dadas, conversávamos sobre qualquer assunto, mas em especial, falando sobre os heróis que ele admirava, e como fazer para ser forte e destruir os inimigos, sobre mágicas, sapos que viravam príncipes e monstros, e ele deixava bem claro:"Sou forte!Mato todos os monstros e protejo você viu vovó?Nunca, nunca vou deixar nenhum inimigo te matar"! owwnn!Às vezes, me olhava sorrindo e dizia:"Pincesa!" (este era o seu charme, não pronunciava o erre.)
Balançando na rede queria fazê-lo dormir, mas quem acabava dormindo era eu.Contava histórias, cantávamos músicas de que ele gostava, e ia respondendo aos mil porquês, de onde vinha a chuva, o cãozinho que não enxergava colorido, porque a mamãe precisava trabalhar, eram tantas as perguntas, que eu dizia, agora vamos cantar de novo?? rss
Sempre amei bicicleta, e na minha não poderia faltar a sua cadeirinha, pedalava ouvindo suas histórias, curtindo a sua alegria, e quando decíamos a ladeira da nossa rua ele gritava:"Segura piãooo!!! Grita vovó, grita segura pião!" hahaa ...
Tudo era tão simples, tão mágico, e nós éramos tão felizes!
Mas lembrei-me também, que no meio de tantas coisas, eu o olhava brincando e o abraçava: " A vovó te ama tanto!"
e recebia de volta um sorriso, era tudo que eu mais precisava, daquele sorriso para enriquecer ainda mais o meu dia, e ele dizia, sem deixar de olhar para seus brinquedos:
" Eu te amo vovó! Meu amor é maior que o mar!"
Eu só queria que ele soubesse que desde que chegou, me fez descobrir que no meu coração cabia muito mais amor do que eu imaginava.E este amor não acaba, à cada dia é maior, maior que o mar!