Aqueles que não acreditam em mágicas, nunca irão encontrá-la.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Amor da minha vida...

Meu Pai Meu Herói

Lembro-me bem da figura do meu pai, para mim, o homem mais inteligente e bonito do mundo!
Quando se aposentou, depois de 33 anos numa fábrica de explosivos, foi ser zelador num prédio onde os moradores o adoravam, mas ao mesmo tempo não esqueciam de chamá-lo a todo momento para fazer “um favorzinho” e lá ia ele, todo feliz, prestativo.
Sempre tão generoso, tão gentil.
Sabia como ninguém prestar favores a quem quer que fosse, a qualquer hora. Acolher amigos, filhos folgados, netos bagunceiros, todas as burrices que os filhos cometiam, ações que nunca foram julgadas, muito menos condenadas.
Recebia a cada um com seu sorriso largo e sincero.
Levando em conta que meu pai amava fazer mimos para minha mãe em um casamento que durou mais de 40 anos, procurei alguém que me agradasse também, quem teve um bom pai , tem um bom marido!!!
Lembro-me que certa vez eu e minha mãe fomos passar um final de semana na casa de minha irmã mais velha, e quando voltamos ele havia trocado todo piso da humilde casinha que eles moravam ( como zelador ) , só para agradá-la... E ela disse que não tinha gostado, foi quando ficamos a sós e ele me disse:
- Sei que ela gostou, mas nunca vai dar o braço a torcer.
Este era o meu pai , que ao final do seu dia ficava em frente à tv , ou ao lado do aparelho de som, que elegantemente presenteou minha mãe, junto com toda coleção de Roberto Carlos que ela idolatrava, detalhe, ela foi a primeira de sua família a ganhar seu aparelho de som.
Seu programa preferido era o noticiário, como ele mesmo dizia, que às vezes o irritava com notícias de desonestidade, impunidade, injustiça. Ele sempre deixou bem claro que era super a favor da honestidade. Tinha verdadeiro pavor dos chamados “ espertos “, quando faço uma boa ação, digo: É que sou filha do meu pai...
Lembro-me dele andando pela casa com um radinho de pilhas colado ao ouvido esquerdo, torcendo pelo Vasco , lembro-me dos dinheiros que emprestava à família e os pagamentos que ele dizia não querer receber, mas que na verdade, estas pessoas esqueciam de pagar.
Uma vez , perguntaram-me qual a lembrança mais vívida que tinha sobre meu pai ...
 Quando fiz seis anos fui matriculada na pré-escola, quando ele me deixou lá chorando, voltou para casa , mas não conseguiu conter a ansiedade, sem falar nada a ninguém, retornou à escola e pediu que fossem me buscar. Disse depois à minha mãe :- Nunca me esquecerei desta cena que vivi hoje, caminhamos de mãos dadas de volta para casa, e eu a via ali, soluçando, quietinha, tão pequena ao meu lado, com aquela saia de pregas, horrível, até o joelho, enorme, segurando a lancheira ...
Tive sorte ... Todas as boas coisas que ele sempre fez, a pessoa maravilhosa que ele sempre foi, com todas as suas qualidades , a mais linda em minha memória era a gentileza e o caráter, é o que espero para meus filhos e meus netos.
Ele me criou com todo amor, não me deixava brincar na rua porque os meninos podiam me bater, nadar sozinha no mar, descer ladeiras de bike, tirava a pontinha do pastel para q eu não queimasse a boca , sou até hoje um pouco medrosa em relação ao mundo e as pessoas, mas em contra partida , tenho uma coragem imensa de amar e isto herdei do meu pai, afinal, sempre disse com muito orgulho, qdo as pessoas diziam "Nossa, ela não parece nem um pouco com a mãe" , ( minha mãe era super branquinha) e eu toda orgulhosa e radiante respondia:
- É ... Sou muito parecida com o meu pai ...

BY CRIS